• http://www.aveiro.com.pt

Diretório de Empresas


Publicite Aqui

Visitas

HojeHoje117
Esta SemanaEsta Semana4193
Este MêsEste Mês19759
TOTALTOTAL1284883
Statistik created: 2021-02-27T02:27:05+00:00
Rádio TerraNova
Notícias
  • Pandemia: António Costa promete Plano de Desconfinamento a 11 de Março.
    Sex, 26/02/2021 - 18:25

    O primeiro-ministro promete apresentar dentro de duas semanas o plano de desconfinamento para a reabertura do país depois do novo confinamento geral decretado em meados de janeiro.

    "Dentro de quinze dias apresentaremos o ​​​​​​​plano de desconfinamento e será um plano gradual que progressivamente irá abranger sucessivas atividades e tal como há um ano será guiado por um conjunto de critérios objetivos", afirmou depois da reunião do Conselho de Ministros que aprovou o decreto de lei que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.

    Para já, António Costa diz que apesar das melhorias ainda não é possível reabrir o país. "Temos tido melhorias, mas todas são relativas e estamos melhor face à pior situação em que estivermos nesta pandemia", afirmou o primeiro-ministro, sublinhando que "este ainda não é o tempo do desconfinamento".

    "O número de novos casos é mais de quatro vezes superior ao número de novos casos que tínhamos do dia 4 de maio do ano passado quando iniciámos o desconfimanento da primeira vaga", justificou.

    No dia 19 de março do ano passado, foi declarado o primeiro período de estado de emergência, que foi renovado a 3 e a 18 de abril. Entre os dias 9 e 13 de abril (período da Páscoa) e entre 1 e 3 de maio (Dia do Trabalhador), foi decretada a limitação de circulação entre municípios.

    Já no dia 3 de maio foi declarada a passagem para o estado de calamidade, ao qual se seguiram três fases de desconfinamento. A 1 de julho foi declarado o estado de alerta para a generalidade do país, o estado de contingência para a Área Metropolitana Lisboa e o estado de calamidade para 19 freguesias de cinco municípios da Área Metropolitana de Lisboa.

     

     

     

     

     

     

     

    Fonte: Lusa

    Tópicos: 

    Categoria: 



  • Atribuição do Estatuto de Entidade de Interesse Histórico e Cultural Local à d’Orfeu - Associação Cultural em consulta pública.
    Sex, 26/02/2021 - 18:06

    A Câmara Municipal de Águeda submeteu a consulta pública a atribuição do Estatuto de Entidade de Interesse Histórico e Cultural Local à d’Orfeu – Associação Cultural, um processo que decorre a partir de hoje (data de publicação em Diário da República) e durante 20 dias.

    A atribuição deste estatuto foi requerida pela d’Orfeu à Câmara de Águeda, no âmbito da comemoração dos seus 25 anos de existência, que mereceu, de acordo com o estabelecido pela legislação em vigor, o parecer favorável da União de Freguesias de Águeda e Borralha. A determinação legal pressupõe que a aprovação pela Câmara de Águeda para a atribuição deste reconhecimento decorra do processo de consulta pública que está agora em aberto.

    A d’Orfeu é uma associação cultural que, nos seus 25 anos de atividade, tem sido uma interveniente direta no dinamismo cultural e artístico do concelho de Águeda, sendo detentora de um rico património material e imaterial, critérios que são o fundamento para a atribuição deste estatuto.

    A intensa intervenção cultural da d’Orfeu, nos domínios da formação, criação e programação tem sido alvo de diversas distinções, entre as quais a atribuição, pelo Ministério da Cultura (1998), do Estatuto de Interesse Cultural ou ainda a Declaração de Utilidade Pública, reconhecida pela Presidência do Conselho de Ministros (2001).

    Em 2013, recebeu a Medalha de Mérito Cultural, uma distinção do Estado Português e a maior condecoração oficial da história da associação, que se junta a diversas distinções relativas aos festivais que promove.

    Esta associação cultural dispõe de um acervo artístico de relevo no panorama regional, que contribui para o enriquecimento do tecido social, económico e cultural locais, para além de serem um testemunho material da história local, de que são exemplo o Festim, o projeto artístico-social opÁ! ou o Festival i!.

    Este estatuto, que confere à d’Orfeu o acesso a programas municipais ou nacionais de apoio e beneficiar de algumas medidas de proteção legal, será válido pelo período mínimo de quatro anos, automaticamente renovável.

    No âmbito do período de consulta pública, os documentos podem ser apreciados em https://www.cm-agueda.pt/pages/48?news_id=2257, sendo que as sugestões devem ser formuladas por escrito, endereçadas ao Presidente da Câmara Municipal de Águeda e remetidas via postal para Praça do Município, 3754-500 Águeda ou por endereço eletrónico (cultura@cm-agueda.pt), mencionando no assunto “Reconhecimento do Estatuto de Entidade de Interesse Histórico e Cultural Local à d’Orfeu Associação Cultural”.

    Categoria: 



  • Câmara de Aveiro apoia Juntas de Freguesia em 2,1 milhões de euros.
    Sex, 26/02/2021 - 15:58

    A Câmara Municipal de Aveiro divulgou os valores e tipologias das obras correspondentes aos Autos de Transferência de Recursos e aos Contratos Interadministrativos de Delegação de Competências entre a Câmara Municipal de Aveiro (CMA) e cada uma das dez Juntas de Freguesia para o ano de 2021.

    Para o exercício das competências previstas nestes Contratos, a CMA vai transferir para as Juntas de Freguesia uma verba total de 2.100.000 euros.

    A avaliação da execução dos Contratos de Delegação de Competências "será feita mediante a apresentação pela Junta de Freguesia de relatórios mensais de execução a entregar à Câmara Municipal até ao dia 8 de cada mês".

    O ano de 2021 tem uma nova ordem jurídica para a gestão da cooperação técnico-financeira entre a CMA e as Juntas de Freguesia.

    De acordo com a Lei que entrou em vigor no Município as competências são próprias das Juntas de Freguesia, acordando com a Câmara Municipal as verbas e recursos a transferir para que as Juntas de Freguesia as executem. Neste âmbito foram assinados hoje nove Autos de Transferência de Recursos, com os seguintes montantes:

     

    Freguesia de Cacia

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 83.270 €;

    Jardins e espaços verdes – 27.000€.

     

    Freguesia de Eixo e Eirol

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 72.540 €;

    Jardins e espaços verdes – 15.000€

     

    Freguesia de Esgueira

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 89.790 €;

    Jardins e espaços verdes – 50.000€.

     

    União de Freguesias da Glória e Vera Cruz

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 37.040 €;

    Jardins e espaços verdes – 9.000€.

     

    Freguesia de Oliveirinha

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 45.080 €;

    Jardins e espaços verdes – 9.000€.

     

    Freguesia de Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 101.120 €;

    Jardins e espaços verdes – 17.500€.

     

    Freguesia de Santa Joana

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 60.100 €;

    Jardins e espaços verdes – 45.000€.

     

    Freguesia de São Bernardo

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 46.040 €;

    Jardins e espaços verdes – 38.000€.

     

    Freguesia de São Jacinto

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 35.560 €;

    Jardins e espaços verdes – 17.500€.

     

    No que respeita às competências que a CMA delega nas Juntas de Freguesia (e que não são competências próprias das Juntas) respeitantes às áreas de atividades regulares e de investimentos extraordinários, apresentamos de seguida e por Junta de Freguesia, a distribuição das verbas e as tipologias de obras definidas nos nove Contratos Interadministrativos de Delegação de Competências assinados hoje:

     

    Freguesia de Cacia

    Pequenas reparações de passeios – 18.000 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 30.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 1.200 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 ;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 2.000 €;

    Manutenção de polidesportivos – 1.000 €;

    Requalificação da Casa Conselheiro Nunes da Silva (em continuidade da cooperação estabelecida nos anos de 2017 a 2020) – 125.000 €.

     

    Freguesia de Eixo e Eirol

    Pequenas reparações de passeios – 18.500 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 24.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 2.400 €;

    Manutenção / colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 3.000 €;

    Polidesportivo do Parque Desportivo de Eirol e Polidesportivo

    do Parque da Balsa – 2.000 €;

    Execução do Lavadouro da Alagoela – 22.000 €;

    Requalificação do edifício sede da Junta de Freguesia – 19.000 €.

     

    Freguesia de Esgueira

    Execução e pequenas reparações de passeios – 22.000 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 5.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 4.200 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 1.000 €;

    Manutenção do Polidesportivo da Quinta da Bela Vista e do Polidesportivo da Quinta do Carramona – 2.000 €;

    Construção da Capela Mortuária de Esgueira (em continuidade da cooperação estabelecida no ano de 2019 e 2020) – 65.000 €;

    Minicampos de basquetebol e espaço exterior CPE – 23.000 €;

    Parque Infantil de Taboeira – 15.000 €.

     

    União de Freguesias da Glória e Vera Cruz

    Pequenas reparações de passeios – 10.500 €;

    Qualificação e/ou gestão de Sanitários Públicos – 30.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 4.800 ;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 3.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 500 €;

    Manutenção de polidesportivos – 4.000 ;

    Armazém da Junta de Freguesia – 50.000 €;

    Construção de instalações sanitárias no Cemitério Central – 14.000 ;

    Ossário no Cemitério Sul – 9.000 €;

    Columbário no Cemitério Sul – 9.000 €.

     

    Freguesia de Oliveirinha

    Pequenas reparações de passeios – 8.500 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 18.750 €;

    Manutenção de parques infantis – 1.800 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 3.000 €;

    Manutenção de equipamentos desportivos – 3.000 €;

    Construção do Armazém da Junta de Freguesia – 80.000 €;

    Construção do Parque de Merendas de Granja de Cima – Moinhos – 22.500 €;

    Construção do Parque infantil e intergeracional de Quintãs – 30.000 €.

     

    Freguesia de Requeixo, Nossa Senhora de Fátima e Nariz

    Pequenas reparações de passeios – 20.000 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 35.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 1.800 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 7.000 €;

    Manutenção de polidesportivos – 3.000 €;

    Parque de estacionamento junto ao Cemitério do Viso – 20.000 €;

    Execução de balneários no Polidesportivo do Carregal – 42.500 €.

     

    Freguesia de Santa Joana

    Pequenas reparações de passeios – 15.000 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 2.500 €;

    Manutenção de parques infantis – 3.600 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 1.000 €;

    Manutenção dos polidesportivos – 2.000 €;

    Armazém da Junta de Freguesia (em continuidade da cooperação estabelecida no ano de 2019 e 2020) – 70.000 €;

    Parque de Merendas e Lazer São Romão – 30.000 €;

    Execução de proteções nos parques infantis – 15.000 €.

     

    Freguesia de São Bernardo

    Pequenas reparações de passeios – 9.500 €;

    Qualificação de caminhos rurais – 2.500 €;

    Manutenção de parques infantis – 2.400 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 500 €;

    Manutenção do Parque / Polidesportivo de São Bernardo – 1.000 €;

    Execução de espaço verde na Rua dos Canhas do Marco – 20.000 €;

    Execução do Parque infantil da Quinta da Urbe – 7.000 €;

    Execução de caminhos interiores e rede de águas pluviais no Cemitério de São Bernardo – 12.500 €;

    Execução do Parque da Quinta do Peixinho – 9.600 €.

     

    Freguesia de São Jacinto

    Pequenas reparações de passeios – 8.000 €;

    Qualificação e/ou gestão de Sanitários Públicos – 8.000 €;

    Limpeza anual do areal da praia – 6.000 €;

    Manutenção de parques infantis – 1.800 €;

    Manutenção / colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de Fontes, Fontanários e Tanques – 1.000 €;

    Manutenção de polidesportivos – 2.000 €;

    Qualificação do circuito de manutenção – 2.ª fase – 35.000 €.

     

    Relativamente à Freguesia de Aradas não foi possível realizar hoje a assinatura do Auto de Transferência de Competências nem do Contrato Interadministrativo de Delegação de Competências, dado o facto de a Assembleia de Freguesia de Aradas ter chumbado (com oito votos contra) o Acordo entre a CMA e a Junta de Freguesia de Aradas, após este ter sido também aprovado pela Assembleia Municipal de Aveiro.

    No referido acordo inviabilizado, ficou estabelecido o seguinte:

    Competências próprias da Junta de Freguesia financiadas com verbas da CMA:

    Limpeza das vias, espaços públicos, sargetas e sumidouros – 65.060 €;

    Jardins e espaços verdes – 40.000€.

    Competências delegadas pela CMA na Junta de Freguesia financiadas pela CMA:

    Pequenas reparações e construção de passeios - 14.500 €;

    Qualificação de caminhos rurais - 2.500 €;

    Manutenção dos parques infantis – 1.200 €;

    Manutenção e colocação de placas toponímicas – 2.000 €;

    Manutenção de fontes, fontanários e tanques – 1.000 €;

    Manutenção do Polidesportivo do Eucalipto – 1.000 €;

    Armazém da Junta de Freguesia (em continuidade da cooperação estabelecida

    nos anos de 2017 a 2020) – 20.000 €;

    Parque Intergeracional Quinta do Canha – 35.000 €.

    "Num universo de 63 Autarcas da Câmara e Assembleia Municipal de Aveiro, da Junta e Assembleia de Freguesia de Aradas, que deliberaram sobre o Acordo entre a CMA e a Junta de Aradas, apenas 8 (13%) decidiram votar contra e não permitir a viabilização deste importante mecanismo de apoio financeiro da CMA à Junta de Freguesia de Aradas para se prestarem relevantes serviços aos Cidadãos de Aradas.

    O referido chumbo impede a CMA de apoiar em 105.060€ a Junta de Freguesia de Aradas a executar as suas competências próprias nas áreas acima indicadas na alínea a), ficando a Junta sem possibilidade financeira de as executar, não podendo a CMA substituir-se à Junta por se tratarem de competências próprias.

    O referido chumbo impede a CMA de transferir para a Junta de Freguesia de Aradas o valor de 77.200€, para as competências que a CMA nela delega e acima referidas na alínea b), onde se incluem 20.000€ para terminar as obras de construção do seu Armazém e 35.000€ para construir um Parque Intergeracional na Quinta do Canha.

    O referido e incompreensível chumbo, de 8 Autarcas, impedindo a Junta de Freguesia de Aradas de receber da CMA a verba de 182.260€, prejudica diretamente os cerca de 9.500 Cidadãos que veem a sua Junta de Freguesia, em pleno século XXI, impedida de cumprir o regulamentado pela Lei em vigor, de realizar os trabalhos simples e fundamentais para o bom exercício da atividade da Junta de Freguesia, assim como de continuar por essa via a prestar um conjunto de serviços essenciais aos seus Cidadãos.

    Esta verba de 182.260€, considerando que o Governo transfere pelo Fundo de Financiamento de Freguesias do Orçamento do Estado cerca de 100.000€ por ano para a Junta de Freguesia de Aradas, evidencia bem o relevante apoio e compromisso da Câmara Municipal de Aveiro em garantir um desenvolvimento harmonioso do Concelho e garantir a qualidade de vida a todos os seus Cidadãos".

    Categoria: 



  • Idoso detido em Vale de Cambra por violar dever de confinamento obrigatório.
    Sex, 26/02/2021 - 15:28

    A GNR de Vale de Cambra deteve, no dia 23 de fevereiro, um homem, de 81 anos, por violação do confinamento obrigatório a que estava sujeito, no âmbito da pandemia de COVID-19, na localidade de Muradal, no concelho de Vale de Cambra.

    No decorrer de uma ação de policiamento para a verificação do dever de confinamento obrigatório, os militares da Guarda constataram que o visado se tinha ausentado do domicílio.

    Após diligências policiais, o suspeito foi localizado a circular na via pública, tendo sido detido.

    O detido foi constituído arguido, e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Vale de Cambra.

     

    Tópicos: 

    Categoria: 



  • Covid-19: Portugal regista 58 mortes em dia com menos internados e infeções.
    Sex, 26/02/2021 - 15:06

    Portugal regista esta sexta-feira 1027 novos casos de covid-19 e mais 58 mortes. O número de internados nos hospitais portugueses continua a descer.

    Nas últimas 24 horas, o país voltou a subir no número de vítimas mortais face ao dia anterior (na quinta-feira foram 49 mortes). Esta sexta-feira são mais 58 nomes a juntar à lista de óbitos da pandemia. Desde 2 de março, quando foi confirmado o primeiro caso de covid-19 no país, 16 243 pessoas morreram com SARS-CoV-2.

    Quanto ao número de infetados, Portugal permanece acima das mil infeções diárias. Há mais 1 027 novos casos, existindo um total de 72 037 contágios ativos (menos 1 811 do que na quinta-feira). Os números nos hospitais continuam numa tendência decrescente: 2 404 doentes estão internados (menos 209 em 24 horas) e 522 estão nos cuidados intensivos (menos 14 do que ontem).

    Desde o início da pandemia, 802 773 pessoas ficaram infetadas com vírus da SARS-CoV-2 e 714 493 recuperaram da doença. Em 24 horas, mais 2 780 doentes escaparam à covid-19.

    Categoria: 



  • Gafanha da Nazaré: Segurança no acesso às escolas em debate na Assembleia Municipal.
    Sex, 26/02/2021 - 11:32

    João Alberto Roque repete um alerta sobre a segurança nos acessos à Escola Secundária da Gafanha da Nazaré.

    O deputado municipal socialista defende investimento e qualificação da rua Afonso de Albuquerque.

    Referência ao percurso para quem circula da área do nó da A25 para a escola, junto ao depósito da água, num espaço em que a via tem largura reduzida e não dispõe de passeios.

    João Alberto Roque já tinha chamado a atenção para o problema das vias de acesso à escola numa área em que são centenas os alunos que privilegiam os modos suaves de deslocação.

    Em nome da segurança, diz mesmo que deveria ser dada prioridade aos investimentos em segurança rodoviária (com áudio)

    Fernando Caçoilo ouviu o alerta do deputado socialista na Assembleia Municipal e lembrou que há bem pouco tempo foi qualificado um troço da via junto à escola com a construção de passeio.

    O autarca de Ílhavo não esconde que esse esforço de qualificação vai exigir alguns anos.

    E lamentou que a oposição não reconhecesse esse esforço (com áudio)

     

    Categoria: 



  • Aveiro: Assembleia Municipal retoma agenda de Fevereiro.
    Sex, 26/02/2021 - 08:45

    A segunda reunião da Sessão Ordinária de fevereiro da Assembleia Municipal de Aveiro está marcada para esta noite.

    Hoje é dia de reunião, a partir das 20h30, com transmissão em direto no Facebook e no Youtube da Câmara Municipal de Aveiro.

    Na agenda a atividade municipal do período entre 10 de novembro de 2020 e 15 de fevereiro de 2021.

    Os Autarcas vão debater o relatório de obras municipais.

    A primeira reunião, realizada na última sexta-feira, 19 de fevereiro, está já disponível para rever na secção de vídeos, do Facebook do Município de Aveiro ou no canal de Youtube da autarquia.

    Tópicos: 

    Categoria: 



  • "Não tenho dúvidas de que o turismo vai regressar com muita força. As pessoas vão querer sair e vão viajar cada vez mais” - Carlos Costa.
    Sex, 26/02/2021 - 08:41

    Carlos Costa manifesta preocupação pela forma como o setor do turismo está a ser "omitido" dos planos estruturantes para a retoma.

    O Diretor do Departamento de Economia, Gestão, Engenharia Industrial e Turismo da Universidade de Aveiro, especialista em turismo, lembra que o setor duplicou o número de hóspedes e de dormidas em Portugal entre 2010 e 219 tornando-se o amortecedor da crise mas não está a ter o tratamento devido nos planos para a retoma como alavanca de crescimento.

    Moderador de um webinar sobre turismo industrial, o investigador deixou registada a sua preocupação (com áudio)

    Turismo Centro de Portugal e o Turismo de Portugal, integrados no Grupo Dinamizador da Rede Portuguesa de Turismo Industrial, organizaram a 3.ª Webinar "Turismo Industrial em Portugal".

    A iniciativa, que decorreu de forma digital, contou com cerca de 600 participantes.

    Carlos Costa acentuou a evolução do turismo na década como marca de um país aberto ao mundo.

    “Entre 2010 e 2019, o número de hóspedes em Portugal duplicou de 13 milhões para 27 milhões e o número de dormidas de 37 milhões para 70 milhões. As receitas cresceram de 7 mil milhões de euros para 18,4 mil milhões. Foi o turismo que nos tirou da grave crise económica que Portugal estava a passar nessa altura. Veio a pandemia em 2020 e a situação ficou catastrófica. Mas não tenho dúvidas de que o turismo vai regressar com muita força. As pessoas vão querer sair e vão viajar cada vez mais”, frisou.

    O objetivo da sessão foi dar a conhecer a oferta de Turismo Industrial, em particular no Centro de Portugal, além de partilhar experiências nacionais e internacionais e estimular o desenvolvimento de programas turísticos passíveis de promoção.A sessão de abertura contou com a participação da Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques.

    Na sua intervenção, a governante destacou “a importância de se colocar o turismo industrial como prioridade”.

    “Nós que trabalhamos no turismo acreditamos que esta atividade irá ressurgir, tenhamos nós as condições sanitárias estabilizadas. Mas também sabemos que o perfil do turista e o conceito de viagem serão diferentes. Provavelmente, serão turistas mais preocupados com questões como a sustentabilidade, mais ligados ao digital, que procuram destinos de menor concentração. O turismo industrial é uma resposta a estes desafios”, sublinhou Rita Marques (com áudio).

    “Queremos integrar nesta Rede Portuguesa de Turismo Industrial novas experiências, novos players, que possam evidenciar e mostrar processos industriais. O Centro de Portugal tem um grande potencial nesta área, com o vidro e cerâmica, a indústria de lanifícios, a metalomecânica, os plásticos, a indústria das duas rodas ou a indústria da extração mineral”, acrescentou.

    Ainda na sessão de abertura, Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, realçou que “a urgência da recuperação económica” é um dos grandes desafios atuais que temos pela frente. Um desafio que é “particularmente decisivo para o Centro de Portugal e para territórios de características idênticas, em que o desafio do crescimento e da coesão estão sempre presentes”.

    “O turismo industrial é uma grande resposta ao desafio da diversificação turística e do crescimento”, disse (com áudio).A alemã Christiane Baum, secretária-geral da ERIH - European Route of Industrial Heritage, fez uma apresentação desta associação.

    Esta Rota Europeia do Património Industrial é uma rede de informação turística do património industrial da Europa, com mais de 300 membros em 28 países e certificada como “Rota Cultural do Conselho da Europa”.

    Nesta altura existem 14 Rotas Temáticas Europeias, que representam ramos da indústria e mostram a variedade e as interligações da história industrial europeia e as suas raízes comuns.

    Numa apresentação sobre o Turismo Industrial no seu município, Cidália Ferreira, presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, salientou que “a essência da Marinha Grande nasce do vidro e este nasce das areias que nos rodeiam”.

    “Tudo isso fez com que sejamos gente empreendedora a partir da indústria do vidro. Quem nos visita pode observar não só a produção de vidro artesanal como também uma mostra permanente, com artesãos a trabalhar junto do nosso museu. Ver o fabrico do vidro é uma coisa extraordinária que guardamos pela vida fora”, sublinhou.

    Paulo Fernandes, presidente da Câmara Municipal do Fundão, abordou o Projeto Rio, que tem como âmbito a reabilitação de um antigo couto mineiro nas Minas da Panasqueira.

    “As Minas da Panasqueira são as minas portuguesas mais conhecidas internacionalmente. É um património mineiro com uma riqueza extraordinária e que tem muito a ganhar num projeto colaborativo em rede, como este. Para termos um produto mais capaz de atração a nível do turismo industrial, é necessário ganhar escala e iniciativas como a de hoje são muito importantes para que tal aconteça”, considerou.Outro exemplo de turismo industrial apresentado foi o “New Hand Lab”, antiga fábrica de lanifícios na Covilhã transformada em associação cultural.

    O proprietário, Francisco Afonso, e a promotora cultural, Guida Rolo, explicaram que “o projeto agrega uma série de características que o tornam invulgar”.

    “O New Hand Lab potencia a interação entre artistas e criadores das mais diversas áreas, promovendo o património e a arte e formando e capacitando os jovens artistas e artesãos”, sublinharam.

    Por parte do Turismo de Portugal, a diretora Teresa Ferreira apresentou o Guia de Boas Práticas do Turismo Industrial, que está disponível a partir de hoje no portal do Turismo de Portugal.

    Trata-se da “primeira versão” de um guia que pretende juntar de forma transversal todos os parceiros e estabilizar conceitos relacionados com o turismo industrial, identificando o que pode constituir a oferta a este nível.

    Já na sessão de encerramento, Pedro Machado elogiou este encontro, que “marca claramente mais uma página nova no Centro de Portugal, em matéria de estruturação de produtos”.

    “A primeira prioridade é estruturar o produto e alavancá-lo numa relação interpares com todos os parceiros, nomeadamente a comunidade científica mas também os operadores e as comunidades. É muito importante que as comunidades onde estão exemplos de turismo industrial sintam que há valor acrescentado para elas pelo facto de termos estruturado o produto”.

    A finalizar, Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, considerou que o turismo industrial “é um tema muito caro ao Turismo de Portugal, porque toca aquilo que nós sempre dissemos: um destino turístico só é sustentável se tiver turismo o ano inteiro, ao longo de todo o território e com capacidade de sinergia com outras áreas, como neste caso a indústria. Assistimos hoje ao que é essencial para o sucesso deste tipo de produtos. Temos aqui uma oportunidade de ouro, os tempos que vivemos provam que o novo turista procura novos mercados, novas experiências e novos interesses e se há lugar ou região em que isto pode acontecer é na região Centro de Portugal”, concluiu.

    Categoria: 



  • Águeda: Recardães centraliza processo de vacinação.
    Sex, 26/02/2021 - 07:45

    A vacinação contra a Covid-19 arrancou esta quinta-feira em Águeda.

    Segundo o plano estipulado pela Direção-Geral de Saúde, nesta fase estão a ser vacinados os maiores de 50 anos com um grupo específico de patologias associadas e ainda os maiores de 80 anos

    O posto de vacinação está montado no Centro de Saúde de Recardães, onde um grupo de duas dezenas de profissionais está a pôr em prática as orientações determinadas pela Direção-Geral de Saúde para o Plano de Vacinação COVID-19.

    “Este é um momento importante para o nosso concelho, em especial para a população que irá começar a ser vacinada contra este vírus que transformou a nossa vida. É de realçar o grande trabalho da comunidade científica em prol da Saúde e a importância das vacinas que nos dão mais esperança para o futuro próximo”, disse Edson Santos, Vice-Presidente da Câmara Municipal que Águeda que, ontem, visitou o posto de vacinação de Recardães, juntamente com Manuel Campos, Presidente da União de Freguesias de Recardães e Espinhel, para agradecer a todos os profissionais o empenho em mais esta fase de luta contra a COVID-19.

    Os profissionais de saúde e os elementos da GNR agradeceram, conscientes de que a população fica mais descansada sabendo que a vacinação já começou a ser feita no concelho. Aproveitaram o momento para alertar que a vacina não é cura e que é importante que “não se negligenciem os cuidados que devem ser mantidos por todos”, nomeadamente a higienização, o uso de máscara e o distanciamento social.

    Nesta fase, no posto de Recardães, que servirá todo o concelho de Águeda, estão a ser administradas 150 doses diárias de vacinas, num processo que decorrerá gradualmente, de acordo com o plano de vacinação nacional e em função da disponibilidade de vacinas.

    As pessoas que estão a ser vacinadas fazem parte de uma lista determinada pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) do Baixo Vouga, sendo que todas são contactadas telefonicamente ou por sms para agendamento do toma da vacina.

    No Centro de Saúde de Recardães, o primeiro contacto é estabelecido pelo “call center”, onde quatro assistentes ligam para os cidadãos que fazem parte da referida lista e agendam a hora para que a vacina seja dada.

    Chegado este momento, o circuito é feito, primeiro pela Junta de Freguesia, onde está instalado um posto de triagem, que, de seguida, encaminha o utente para o Centro de Saúde (edifício ao lado) para a administração da vacina.

    Refira-se que, segundo o plano de vacinação nacional, numa segunda fase, agendada para abril, serão vacinadas as pessoas com mais de 65 anos (que não tenham sido vacinadas previamente) e as pessoas entre os 50 e 64 anos com pelo menos uma das seguintes patologias: Diabetes, neoplasia maligna ativa, doença renal crónica, insuficiência hepática, hipertensão arterial, obesidade e outras patologias com menor prevalência que poderão ser definidas posteriormente, em função do conhecimento científico.

    Não está ainda definida a data para o início da terceira fase, que respeitará a toda a restante população, pelo que este será um processo gradual e que irá decorrer durante os próximos meses.

     

    Categoria: 



  • Aveiro: Câmara e Juntas assinam delegação de competências.
    Sex, 26/02/2021 - 07:44

    A Câmara de Aveiro e as Juntas de Freguesia do Concelho assinam, esta sexta-feira, os Contratos Interadministrativos de Delegação de Competências.

    Os contratos serão assinados pelo Presidente da CMA e os Presidentes das Juntas de Freguesia e Uniões de Freguesia e será feita a apresentação dos objetivos de investimento em concreto.

    Sessão às 11h no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Aveiro.

    Categoria: 



Font changer Font changer Font changer

Notícias

Concelhos

Publicite Aqui

Webfeel